(Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Quatro familiares e um amigo estavam em Corumbá para pescar, mas acabaram falecendo no naufrágio

Quatro dos sete ocupantes da embarcação que desapareceram, após naufrágio do Rio Paraguai na sexta-feira (15), eram da mesma família. Geraldo Alves de Souza, Olímpio Alves de Souza, Fernando Gomes de Oliveira, Thiago Souza Gomes pescavam em Corumbá quando a tragédia aconteceu. Um amigo da família, Fernando Rodrigues Leão também estava a bordo e faleceu.

Todas as cinco vítimas são de Rio Verde (GO) e estavam em Corumbá para pescar. Gardenia de Souza Furtado é filha de Geraldo e, sem condições de falar sobre o ocorrido, afirma brevemente que todos ficaram em estado de choque quando receberam a notícia do naufrágio e falecimento dos familiares. “Agora estamos indo atrás para trazermos os corpos pra cá (Rio Verde)”, disse.

A Prefeitura de Rio Verde decretou luto oficial de três dias por conta do ocorrido. A Câmara Municipal publicou uma nota de pesar pelo falecimento dos cinco moradores do município. “Aos familiares e amigos, nossos sinceros sentimentos e que Deus possa confortá-los neste momento de tamanha dor”.

Os moradores de Rio Verde são cinco dos seis corpos encontrados pelo Corpo de Bombeiros após o naufrágio do barco-hotel. Ao todo, sete pessoas estavam desaparecidas, uma ainda não foi encontrada. A tripulação era de 21 pessoas.

O naufrágio

A embarcação naufragou no Rio Paraguai, na tarde desta sexta-feira (15), durante o vendaval e tempestade que atingiram Mato Grosso do Sul. O acidente teria ocorrido na região do Tagiloma, distante 5 km de Porto Geral.

Conforme informações dos bombeiros de Corumbá, as buscas seguem intensas neste sábado (16) com equipes reforçadas de mergulhadores e apoio da Marinha do Brasil, de Ladário.

“A equipe de Busca e Salvamento (Equipe SAR) da Marinha do Brasil segue no local juntamente com equipe do CBMMS realizando as buscas da última vítima desaparecida. A Marinha do Brasil ressalta a disponibilidade do número 185 para emergências fluviais, inclusive denúncias”, disse em nota.

FONTE: MÍDIA MAX

Comentários