Maior privacidade nas consultas médicas e realização de mais procedimentos são algumas das melhorias possibilitadas com o novo setor de saúde instalado para atender internas do Estabelecimento Penal Feminino de Regimes Semiaberto e Aberto de Campo Grande (EPFRSAA-CG), uma das 43 unidades da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen).

Uma obra foi realizada para comportar o novo espaço e permitiu a separação da área administrativa e de onde ocorrem os atendimentos, garantindo maior preservação da intimidade das custodiadas durante a realização dos diagnósticos, procedimentos, orientações médicas e acompanhamentos terapêuticos. A criação de ambiente propício também diminui a necessidade de saídas das custodiadas para tratamentos externos.

Mais amplo, novo setor de saúde garante maior assistência a reeducandas do semiaberto da CapitalA reestruturação foi financiada com recursos oriundos da 2ª Vara de Execução Penal de Campo Grande (2ª VEP) e Conselho da Comunidade local, após projeto apresentado pela direção da unidade prisional. As obras envolveram investimento na ordem de R$ 19.468,32 que contemplaram, ainda, instalação de ar condicionado e um refrigerador.

Segundo a diretora do presídio, Cleide Santos do Nascimento Freitas, antes da reforma, a equipe de saúde dividia uma sala pequena, o que dificultava os trabalhos. “Agora cada uma tem seu lugar, ficou mais organizado, contando com salas para recepção e triagem, consultas e exames, e de expurgo”, destaca.

Com mais espaço, os equipamentos e mobiliários estão posicionados de forma mais adequada, bem como os prontuários médicos, medicamentos e instrumentos já existentes, além do armazenamento de kits de testes rápidos, materiais coletados e demais itens que precisam de refrigeração.

A ampliação foi possível após reposicionar as salas, levando a área de saúde para onde funcionava a chefia de equipe, que passou a ocupar o local onde antes era o setor médico. “Com isso, o espaço destinado à equipe plantonista também recebeu melhorias, como um novo alojamento e reforma da sala da chefia de equipe”, informa Cleide.

Além disso, com o novo ambiente adquirido, o presídio será contemplando com projeto da Divisão de Saúde da Agepen junto ao Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e Ministério da Saúde para a maior estruturação da área destinada aos atendimentos médicos.

Os serviços de reforma foram realizados com mão de obra de dois internos do Centro Penal Agroindustrial da Gameleira que trabalharam no EPFRSAA-CG, por meio de convênio com o Conselho da Comunidade de Campo Grande.

As ações de saúde da Agepen são coordenadas pela Diretoria de Assistência Penitenciária, por meio de sua Divisão de Assistência à Saúde Prisional.

Keila Oliveira, Agepen

Fotos: Divulgação

Fonte: Governo MS

Comentários